terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

[Resenha] Clarices


Título do Livro: Clarices
Autor(a): Luciana Bollina
Editora: Philae
Número de Páginas: 142
Sinopse: Como se pudesse descrevê-la. Falaria do olhar de coruja, curiosa, atenta e todo movimento. Rosto jovem, liso, refletor de luz discreto. A boca quer devorar a verdade das coisas. O nariz não é pequeno, nem grande, é forte, diferente. Não é feio, tem harmonia com seu rosto. O cabelo muda a cada seis meses, mais ou menos. Não gosta de estabilidade em nada que se refere a ela, a não ser a financeira, necessária estabilidade financeira. Mas essa também não acontece, ela é artista plástica.

Classificação: 




Luciana me surpreendeu com essa história, ela é completamente diferente do que esperei, é curiosa, cheia de momentos impressionantes. A começar por Clarice, poxa, é impossível não gostar dela, a personagem transborda sentimentos bons e sinceros, e faz a gente pensar muito na nossa vida atual. Eu me encantei particularmente pelas cartas em algumas passagens do livro, é incrível a maneira que Clarice passa seus sentimentos para uma folha de papel. "Sempre achei que tudo e absolutamente tudo que precisasse estaria dentro de mim... Não estou sofrendo. Só há uma tristeza morta lá no fundo que me faz sorrir sem os dentes. Ainda te amo. Espero."

Gabriel é um personagem calmo, tanto quanto Clarice, e ele nos passa uma segurança que é difícil encontrar no mundo. Cheio de objetivos, ele encanta a nossa personagem principal e a nós também.
É tão bom descobrir aos poucos o mundo de Gabriel, suas virtudes e pensamentos. 

O livro é interessante porque foca em vários pontos, a rebeldia no meio familiar, a busca de um amor que faça sentido, as imagens que não sabemos interpretar, e o encontro da felicidade um no outro, e nas coisas boas da vida. 

Luciana me fez enxergar tudo que há de lindo na Arte, em suas variadas formas. E também me fez acreditar mais no destino, nas coisas boas que o mundo nos reserva. Uma leitura leve, com poucas páginas, e muitas descobertas, sustos e suspiros. 


segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Parceria com a autora Cinthia Freire

É com muito orgulho que fechamos mais uma parceria. Desta vez é com a Cinthia Freire, escritora de Um novo amanhecer. Vem conhecer mais um pouco sobre ela.


Sobre a escritora

Cinthia Freire nasceu em São Paulo onde mora com o marido e duas filhas. Formou-se em arquitetura, mas a paixão por história acabou a conquistando de vez, desde então resolveu se dedicando em tempo integral a escrever romances, seu estilo preferido.













Sobre o livro

Giulia está arrasada! seu namoro chegou ao fim e ela não sabe o que fazer.
Leo está confuso e com medo, seu tempo está acabando e ele não quer magoar sua namorada.
Zyon é um anjo perdido e apesar de saber que está em uma missão na Terra, ele não tem ideia exatamente do que o aguarda.
Em uma tarde chuvosa o caminho dos três se cruzam de forma trágica e comovente.
UMA GAROTA APAIXONADA
UM RAPAZ DOENTE
UM ANJO PERDIDO
Eles serão capazes de lidar com a força do verdadeiro amor?

“Será que você não entende? você é a minha morfina!"-Um dos quotes de Um novo amanhecer.

Com um quote desses, não dá uma vontade louca de ler esse livro? Eu estou super curiosa para ler Um novo amanhecer, acabei a pouco um livro no mesmo estilo e amei. Estou muito feliz com a parceria e tenho plena certeza de que renderá muitos frutos.
Depois conto para vocês o que achei do livro!


[Resenha] Uma vida para sempre - Simone Taietti

 Título da obra: Uma vida para sempre
Autor(a): Simone Taietti
Editora: Novo século
Número de páginas:352
Sinopse: Ethel diz estar morrendo. Contudo, não afirma isso apenas em razão de sua doença. Talvez a única certeza de nossa existência seja a morte, o fato de que ela chega para todos. Mas nem por isso deixa de ser a maior incógnita da vida.
Em um hospital, em meio à dor das histórias dos pacientes, Ethel encontrou amigos. Entre passeios em cemitérios, frequentando velórios e enterros de estranhos, ela tenta preparar a si e aqueles que ama, para o que parece estar ali tão próximo, o fim. Entretanto, não esperava enfrentar algumas surpresas que a fizessem duvidar de tal preparação.
As estatísticas ruins, a inexorável passagem do tempo. Onde reside a lógica disso que nos arranca pedaços, da súbita inexistência do que outrora era vívido e pulsante? Um corpo que jaz. Palavras que se perdem. A finitude de tudo o que é tão belo talvez seja a maior dor do mundo.
Uma vida para sempre é um compilado de desejos, pensamentos e dias.
Quanto dura o para sempre?
Ethel descobriu.
Classificação:
                                                             
Ethel é uma adolescente nada normal. Portadora de uma síndrome rara, Ethel Vilanova, não sente nenhuma dor e também não transpira. Esta síndrome chamada CIPA, impossibilita Ethel de viver uma vida normal, pois precisa ter cuidados excessivos, já que pode se machucar e não sentir ou se ficar muito tempo exposta ao calor pode ter uma febre altíssima.
Tudo isso impediu Ethel de viver normalmente, frequentar a escola e ter amigos. Os únicos amigos de Ethel se encontram no hospital no qual frequenta. E é nesse hospital o qual encontra Vitor, um garoto de 19 anos portador de Leucemia.
A partir daí, vocês já devem imaginar o que acontece né? Ethel e Vitor apesar de todos os problemas começam a namorar e aproveitar a vida. Mas diferente do que vocês estão pensando, isso não é um livro parecido com A culpa é das estrelas (nada contra ACDE, gosto muito da história e já chorei muito por Hazel e Gus). Diferente de Hazel que fica de mimimi, Ethel luta muito por Vitor e por sua liberdade.
Ethel não é uma garota comum, não apenas pela síndrome que tem, mas também pela bravura e vontade de viver.
Uma vida para sempre me encantou de uma forma esplendida. Não só pela história, mas pela escrita da Simone também. Fazia muito tempo que não lia um livro tão bem composto de palavras e reflexões. O que me deixou fascinada foram as reflexões de Ethel, que nos fazem pensar um pouco mais. A maior reflexão de Ethel é sobre a morte. Por que as pessoas têm tanto medo dela? Todo mundo sabe que um dia chegará ao fim da linha... Ethel se questiona muito sobre isso, e nos faz questionar também.
A capa é linda demais! Sou apaixonada por ela desde que vi pela primeira vez, apesar da simplicidade, é de uma delicadeza singular, igualmente ao livro. A diagramação é da seguinte forma: Como se trata de um diário, cada capitulo se trata de um dia da vida de Ethel. Ao início de cada capitulo existe um pequeno texto, que se trata de uma pequena reflexão sobre aquele dia. Esses pequenos textos são lindos!
O livro veio com uma dedicatória lindíssima, onde dizia: que esse livro traga-lhe bons momentos. Sim Simone, tive momentos maravilhosos com esse livro. E espero que todos tenham essa oportunidade. Não deixe passar a oportunidade de conhecer a história de Ethel, ela é linda demais.

Melhor quote de Uma vida para sempre

“O instante modificador. Os segundos que podem mudar seus planos e concepções. A ínfima contagem do tempo que pode mudar sua vida para sempre. Dizem que a vida é feita de momentos e eu acredito nisso. Acredito também em uma espécie de Big Bang, a hora em que todos esses momentos encaminham-se para um só, até porque a vida não passa de uma longa caminhada. O demorado adeus, de Simone de Beauvoir, que acaba por não ser tão demorado para alguns.”


sábado, 21 de fevereiro de 2015

Melhores quotes de Perdida

Depois de ter resenhado Perdida, achei justo mostrar para vocês quais os melhores quotes do livro na minha humilde opinião. Cada um é mais fofo que o outro. Se você ainda não leu a resenha, leia aqui e depois dê uma olhada nesses quotes M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O-S!!

“Não tem nada de errado em gostar de ler histórias de amor, pelo menos nos livros elas têm final feliz! Não machucam ninguém.” (Página 20)

“Você sempre foi muito cética, não é? Nunca acreditou em magia. Nem mesmo em contos de fadas ou Papai Noel. Sempre pratica! Está na hora de começar crer que existem mais coisas no universo além daquelas que os seus olhos podem ver. E finalmente começar a viver sua vida! Você sempre deixou para depois, esperando que ela acontecesse, mas nunca fez nenhum esforço para isso.” (Página 41)

“Era como se cada célula do meu ser quisesse se grudar em Ian, como se ele fosse um ímã superpotente, usando sua força em carga máxima, e eu fosse revestida de metal. Impossível escapar ou resistir.” (Página 134)

“Assim como este rio, você segue seu curso. Se uma pedra aparecer na sua frente, você simplesmente contorna e tenta encontrar um novo caminho. E, assim como as águas deste rio correm em direção ao mar, eu sei que você corre em direção à sua casa.” (Página 148)

“Sinto que posso...flutuar quando estou com você. Como se fosse capaz de realmente voar! Sinto-me completo pela primeira vez, Sofia. Há uma força em você que me atrai, que me arrasta para perto, uma força inexplicável que turva meus pensamentos. Não consigo pensar em nada mais, apenas em como seria tocar seu cabelo...segurar sua mão.” (Página 158)

“Quando não estou com você, meu peito fica vazio, como se meu coração se recusasse a bater até que a encontre novamente. Sinta! Ele diz Sofia, Sofia, Sofia! Tem sido assim desde a primeira vez que a vi. Desde aquele instante percebi que não era mais dono do meu coração, que ele não me pertencia mais.” (Página 159)

“Eu quero tanto tocar você que perco a noção do certo e errado. Que quando você me toca é quando me sinto mais viva. E que, quando me beijou, foi como se finalmente minha vida tivesse começado. Que até agora eu estive adormecida esperando que você me despertasse.” (Página 160)

“-Vou fazê-la entender o que reluta tanto em aceitar. Eu gemi baixinho, porque, se ele iria se esforçar ainda mais...eu realmente estaria perdida. Sem trocadilhos.” (Página 192)

“Contos de fadas podem se tornar realidade, Sofia. Basta que a princesa não lute contra a própria felicidade.” (Página 198)

“Ian era a resposta para todas as minhas perguntas. Eu não tinha mais dúvidas quanto a isso. Era por ele que eu procurava –a vida toda-, sem nem mesmo saber que procurava. Era ele que eu queria, de forma desesperada, para toda a vida. E era ele a minha jornada ali, minha missão.” (Página 242) –Essa daqui é a minha favorita!! Sofia super apaixonada pelo Ian <3 o:p="">

“E aprendi que uma vida simples podia ser a mais complexa de todas, a mais feliz de todas, sobretudo se o amor da sua vida estivesse ao seu lado.” (Página 297)

“Mas eu não poderia sobreviver sem Ian, tinha certeza disso. Seria como tentar viver sem respirar: sufocante, insuportável e impossível.” (Página 297)

“Imagine que todas as pessoas têm sua outra metade e que, algumas vezes, passam por ela sem nem mesmo notar. Outras pessoas são mais atentas e as notam, têm a chance de escolher e podem ser felizes para toda a vida.” (Página 337) 

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Parceria com a autora Ana Lemos

Não é segredo pra ninguém que eu sou apaixonada/viciada por romances. Então hoje, venho aqui apresentar pra vocês, a nova parceira do blog Ana Lemos!!! Nem precisa falar o quanto fiquei feliz com essa parceria, né? 

Ana Lúcia de Lemos Nora (Ana Lemos) nasceu na cidade gaúcha de Caxias do Sul, em 1968, onde vive até hoje. Desde criança sempre foi viciada em leitura, prática esta que se estendeu pela sua vida adulta, já que escolheu o Direito como seu curso de graduação, onde a leitura e a exposição de teses é muito exigida. Após a graduação, foi aprovada em concurso público, tendo exercido cargo de assessora de Juiz de Direito por mais de 17 anos. Ana acredita que essa prática na leitura e elaboração de pareceres foi essencial para sua facilidade em descrever pessoas e situações do cotidiano. É casada e mãe de dois filhos, Guilherme e Fernanda. Suas maiores paixões são os amigos, livros, músicas e viagens, além de sua Golden Retriever, Monalisa. Com a maturidade e o amor à leitura, surgiu o desejo de escrever, iniciando com “Sempre Foi Você” sua primeira trilogia romântica “Amores Traçados” que, apesar de trate-se de uma trilogia, são livros independentes, com foco em casais de personagens diversos, embora todos os personagens sempre estarão na história de uma forma ou outra.


Sinopse: Quando a brasileira Lucy Somel passou a morar em Nova York ela tinha apenas uma meta: concluir a faculdade de direito e trabalhar ao lado de sua grande amiga Anna. O amor parece não caber em seu projeto de vida, considerando os poucos breves e decepcionantes relacionamentos. 
    No entanto, esta linda e inteligente mulher será surpreendida por uma “forcinha do destino” ao conhecer seu orientador para o trabalho de conclusão do curso. Marco Salvatore é uma lenda dos tribunais, talento que lhe garantiu a fama de ser um dos melhores advogados da cidade, porém, relacionamentos amorosos também não estão em seus planos.
     O desejo entre os dois é imediato, mas será o suficiente para fazer Marco mudar de ideia e iniciar um relacionamento duradouro? Ou fazer Lucy acreditar que pode viver um grande amor?






Sinopse: Andrew vivia numa constante festa, onde tudo era permitido e todas as garotas eram fáceis, até encontrar sua "fada" de cabelos vermelhos e olhos cor de caramelo.

Alice estava traumatizada com a perseguição de um ex namorado. mudou de cidade e de vida, procurando a paz e a tranquilidade que não tinha a muito tempo.

Será que a insistência de Andrew pode afastar ainda mais Alice de sua vida, ou a promessa de uma amor verdadeiro e a chance de tentar de novo poderão faze-la mudar sua visão dos homens?

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Parceria com a autora Simone Taietti

Hoje vim apresentar pra vocês, a autora de um dos livros com a capa mais fofa que já vi. E também, de uma sinopse instigante que a bastante tempo tem me deixado curiosa para lê-lo.

Biografia: Nasceu em 1994, ano em que o mundo perdeu Kurt Cobain e Ayrton Senna e em que Nelson Mandela tornou-se o 1º Presidente negro da África do Sul. Descobriu ainda no Ensino Fundamental sua grande paixão: a escrita. Tem preferência pelas histórias palpáveis, a inconstância da vida, aquilo que pode acometer qualquer um. Em 2011, foi uma das ganhadoras do 7° Prêmio Construindo a Igualdade de Gênero, na categoria estudante de Ensino Médio, concorrendo com 3.375 outros textos. Vive em Tangará – SC. É acadêmica de Direito na Universidade do Oeste de Santa Catarina. Divide seu tempo livre entre a escrita, leitura, estudos e os seriados de que tanto gosta. "Uma vida para sempre" é seu primeiro livro publicado.




Sinopse: Ethel diz estar morrendo. Contudo, não afirma isso apenas em razão de sua doença. Talvez a única certeza de nossa existência seja a morte, o fato de que ela chega para todos. Mas nem por isso deixa de ser a maior incógnita da vida.

Em um hospital, em meio à dor das histórias dos pacientes, Ethel encontrou amigos. Entre passeios em cemitérios, frequentando velórios e enterros de estranhos, ela tenta preparar a si e aqueles que ama, para o que parece estar ali tão próximo, o fim. Entretanto, não esperava enfrentar algumas surpresas que a fizessem duvidar de tal preparação.
As estatísticas ruins, a inexorável passagem do tempo. Onde reside a lógica disso que nos arranca pedaços, da súbita inexistência do que outrora era vívido e pulsante? Um corpo que jaz. Palavras que se perdem. A finitude de tudo o que é tão belo talvez seja a maior dor do mundo.
Ethel descobriu.
Uma vida para sempre é um compilado de desejos, pensamentos e dias. Quanto dura o para sempre?


quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

[Resenha] Perdida - Carina Rissi

Título da obra: Perdida
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Número de páginas: 362
Sinopse: Sofia vive em uma metrópole, está habituada com a modernidade e as facilidades que isto lhe proporciona. Ela é independente e tem pavor a menção da palavra casamento. Os únicos romances em sua vida são os que os livros lhe proporcionam. Mas tudo isso muda depois que ela se vê em uma complicada condição. Após comprar um novo aparelho celular, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem ter ideia de como ou se voltará. Ela é acolhida pela família Clarke, enquanto tenta desesperadamente encontrar um meio de voltar para casa. Com a ajuda de prestativo Ian, Sofia embarca numa procura as cegas e acaba encontrando algumas pistas que talvez possam leva-la de volta para casa. O que ela não sabia era que seu coração tinha outros planos.
Classificação:
E aqui estou eu, apaixonada por mais um livro de uma brasileira. Dessa vez me perdi nas páginas de Perdida.
Perdida é daqueles livros que te faz ter todas as reações do mundo: rir, chorar, ficar brava, amar. Ganhei o livro do meu amado namorado e confesso que não esperava muito dele, mas me surpreendi já nas primeiras páginas.
Sofia (eu amo muito esse nome, já contei para vocês? Haha) é uma típica mulher do século XXI, que não vive sem tecnologias, principalmente seu celular. E é onde tudo começa. Mas além disso, Sofia é apaixonada por romances antigos, como Jane Austen.
Após uma noitada daquelas, Sofia deixa seu celular cair dentro da privada do bar e no dia seguinte sai para comprar seu novo “monstrinho”. Entra na primeira loja que avista e uma senhora vende um celular super sofisticado para Sofia. Ao sair da loja nota que o celular não funciona e na volta para a loja, o celular libera um feixe de luz muito intenso e aí que tudo muda, Sophia agora se encontra no século XIX.
Sofia é acolhida pela família Clarke, ou melhor dizendo por Ian Clarke, que é daqueles homens fofos, carinhosos, íntegros e além de mais, lindo. É obvio que a determinada Sofia não resistiria aos encantos desse homem, ou resistiria?
Sofia também tem contato com Elisa, irmã de Ian. Nasce nesse contato uma amizade muito grande, e logo Sofia começa a instruir Elisa de algumas coisas. Mas a amiga de Elisa, por favorrr, que coisa chata!! Teodora é daquelas que só gosta de reclamar e muito muito antipática.
O mais engraçado do livro é a dificuldade de Sofia interagir com as pessoas da época e se portar como uma dama, essa menina deu cada furo ahha. Mas o pior de tudo para Sofia é não existir um BANHEIRO no século XIX. A bendita casinha é sempre um trauma para ela.
O quase fim do livro me emocionou demais, chorei como uma louca, porque simplesmente não queria acreditar que o livro ia terminar daquela maneira. Mas no fim deu tudo certo, e eu fiquei enlouquecida para comprar Encontrada, e foi o que fiz, em breve resenha dessa sequência maravilhosa.
A capa é um retratado fiel da Sophia, pois ela não tira seus All Star dos pés. As letras da capa são em alto relevo, deixando o livro ainda mais lindo. A diagramação é simples, cada capitulo que se inicia, o número é de uma fonte diferente. As páginas são amareladas, uma coisa que amo demais.

A leitura do livro flui muito bem, pois quando você nota já terminou. Em apenas 3 dias já havia devorado todo o livro. Perdida é um livro que vale a pena cada centavo gasto, pois é de uma qualidade incrível. E claro, fiquei com muita vontade de conhecer os outros trabalhos de Carina Rissi, pois o que foi demonstrado em Perdida foi de tirar o fôlego.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Li até a página 100 e... #3 Coração Artificial - Viviane L. Ribeiro

Essa é uma tag que eu gosto muito, apesar de não usá-la muito aqui no blog. Mas juro que a partir de agora a usarei com mais frequência haha Acho bem importante tags desse tipo, pois torna maior o interesse do leitor pelo livro em questão. O livro que escolhi hoje é a minha leitura atual, escrito pela nossa parceira do blog Viviane L. Ribeiro. 

 
PRIMEIRA FRASE DA PÁGINA 100:
- Acredite em mim, não tive nenhum trabalho por isso. Eu sabia exatamente o que tinha que fazer. Só não fiz antes porque queria que você se esforçasse um pouco.

DO QUE SE TRATA O LIVRO?
O livro fala sobre Gabriel, um garoto que mesmo possuindo muito dinheiro não se sente feliz assim. É forçado pelo pai a fazer faculdade de bioengenharia, mas sua paixão mesmo é pela música. E sobre Alícia, uma menina simples, criada no interior que conseguiu uma bolsa de estudos na mesma faculdade que Gabriel. E apesar de todas as suas diferenças, os dois começam a se envolver.

O QUE ESTÁ ACHANDO ATÉ AGORA?
Estou adorando o livro, ele é escrito de uma forma muito gostosa e divertida de ler. 

O QUE ESTÁ ACHANDO DA PERSONAGEM PRINCIPAL?
Gostei bastante da personalidade deles, tanto da de Alícia que me passou ser uma menina meiga e bastante inteligente, quanto a de Gabriel, que está lutando para descobrir sua própria identidade e o que ele realmente quer de sua vida, sem a interferência de seu pai.


MELHOR QUOTE ATÉ AGORA:
"Acaba que viver não é como estar em um parque de diversões. Estar vivo é como assistir a um filme de terror sem saber o que encontrará a seguir." 
VAI CONTINUAR LENDO?
Sim!!!

ÚLTIMA FRASE DA PÁGINA 100:
Mas tudo bem. O que mais tínhamos era tempo.

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

[Resenha] Lola e o Garoto da Casa ao Lado


Título do Livro: Lola e o Garoto da Casa ao Lado
Autor(a): Stephanie Perkins
Editora: Novo Conceito
Número de Páginas: 285
Sinopse: A designer-revelação Lola Nolan não acredita em moda.. ela acredita em trajes. Quanto mais expressiva for a roupa - mais brilhante, mais divertida, mais selvagem - melhor. Mas apesar de o estilo de Lola ser ultrajante, ela é uma filha e amiga dedicada com grandes planos para o futuro. E tudo está muito perfeito (até mesmo com seu namorado roqueiro gostoso) até os gêmeos Bell, Calliope e Cricket, voltarem ao seu bairro. Quando Cricket - um inventor habilidoso - sai da sombra de sua irmã gêmea e volta para a vida de Lola, ela finalmente precisa conciliar uma vida de sentimentos pelo garoto da porta ao lado.

Classificação: 



Não há como negar o meu amor por Stephanie Perkins desde que li Anna e o Beijo Francês (<3). Após minha completa paixão por Anna e Étienne St. Clair, eis que surge a oportunidade de ler algo a mais da autora, que já vem sendo elogiado ha muito tempo, e eu tive a oportunidade de ler somente agora. Esse livro serviu para eu AMAR Stephanie MUITO. 
Lola, que carrega o verdadeiro nome de Dolores, é uma menina crescendo, cheia de dúvidas e medos, que expressa seus sentimentos no visual, um pouco extravagante. Lola vem de uma família cheia de problemas, ela tem dois pais. A mãe biológica de Lola é completamente perdida, fácil de encontrá-la drogada e jogada em algum canto da cidade, portanto o seu irmão (tio de Lola) a adotou, para criá-la com seu namorado, e eles dois viraram a família da Lola, os pais que ela tanto ama. 
O que não agrada seus pais é Max, seu namorado, de 22 anos, que eu achei um completo chato e babaca, Max é todo malandrão, e muito estupido com a melhor amiga de Lola. Diferente de Anna, da outra obra de Stephanie, Lola é decidida no que faz, uma menina de atitude. 
Tudo estava em perfeita harmonia, até a tão inesperada e indesejada volta dos gêmeos Bell. Ah, eis que chega Cricket (APLAUSOS, PARA A COISA MAIS FOFA DESSE MUNDO), e sua irmã Calliope, que é uma ginasta famosa e roda o mundo em suas competições, sempre levando o irmão como companheiro. Junto com os irmãos, volta um turbilhão de sentimentos que Lola mantinha guardado por Cricket, e assim começa a situação que mudaria a vida dela.
Eu sou apaixonada por esses romances, e essa cumplicidade que eles tinham apenas pela janela dos quartos, ai meu deus, é muito fofa. O desenrolar da história é tão bonito, tão cheio de surpresas. Eu tive uma certa dúvida se odiava Calliope ou amava, pois no ínicio ela foi uma bela estraga prazeres, que estava ali só para ver as coisas dando errado, mas depois da reviravolta, ela se torna uma boa amiga e companheira. 
Étienne não poderia deixar de ser o amor da minha vida nesse livro também né, lá estava ele, com aquele ar de deboche tão sexy, e ajudou e muito no relacionamento de Lola e Cricket, achei Anna bem mais madura nesse livro também. E o legal foi saber o que aconteceu com os dois após a história na França.
Existe uma coisa que me irritou em Anna e o beijo Francês, e aqui também. CANSEI ESPERANDO O BEIJO MINHA GENTE! Pô Steph, olha a agonia e esse beijo não saia nunca. Mas isso não me impediu de amar mais uma vez uma obra dela, porém nada se compara ao primeiro, Anna e o beijo Francês continua sendo o meu preferido.
Recomendo a leitura, e desejo muitos suspiros para vocês. Porque o livro é tão incrível quanto a autora. 

"E não quero que ele pense que Cricket Bell significa para mim algo que não significa mais. Esse capítulo de minha vida já era."

domingo, 8 de fevereiro de 2015

[Resenha] A Probabilidade Estatística do Amor a Primeira Vista


Título do livro: A probabilidade estatística do amor à primeira vista
Autor(a): Jennifer E. Smith
Editora: Galera Record
Número de páginas: 222 (li em versão econômica)
Sinopse: Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferente das bagagens, jamais de extravia. 
"Uma fábula emocionante e sagaz sobre o amor, família... Os insights de Smith sobre dor e perda são tão reais quanto a mágica do nascimento de um novo amor".

Classificação:


Esse é o livro que vai te fazer acreditar em destino. Hadley perde o voo para Londres, onde ela estaria indo para o casamento de seu pai, lugar onde ela não queria estar, pois ainda acreditava na salvação de sua família. Então Hadley está prestes a ficar 3 horas sozinha esperando o próximo voo. A história é rápida, pois se passa em apenas 24 horas, primeiro livro que eu leio assim, e isso tornou a leitura muito fácil e gostosa.
Hadley conhece Oliver, e é assim que tudo começa. Oliver é a pessoa mais fofa do livro, um britânico impressionantemente apaixonante, que também está esperando o voo para Londres. Apesar do susto inicial de Hadley, Oliver acaba sendo o parceiro de viagem perfeito, sendo sempre muito simpático e gentil com ela. Hadley se sente a vontade para contar todos os problemas e medos da vida, e ele sempre atencioso.
O mistério do livro é o que Oliver iria fazer em Londres, e quando isso é revelado te surpreende muito. É focado muito a relação de Hadley com o pai, que é muito conturbada, devido ao abandono dele para viver em outro lugar, e acabar formando uma nova família sem pensar na que ele deixou para trás.
A história me prendeu durante o dia inteiro, e li rapidinho, pois não poderia deixar de lado sem saber o final. E.. simplesmente amei!!!!!!! Cada frase, cada sentimento, nos toca bem no fundo, e parece que nos colocamos no lugar dos personagens, e sofremos junto com eles. Sem falar no romance que envolve a história, é tão fofo e inesperado, te deixa com um sorriso no rosto do ínicio ao fim de cada interação de Hadley e Oliver. Eu posso afirmar que é impossível não se apaixonar pelos personagens. Eles são incríveis e cheios de surpresas.

"As pessoas que se encontram em aeroportos têm 72 por cento mais de chances de se apaixonarem que as pessoas que se encontram em outros lugares."

OBS: Já foi divulgado que a história será adaptada para o cinema. Não vejo a hora de poder ver o filme e comparar com o que imaginei.





sábado, 7 de fevereiro de 2015

Parceria com as editoras

Hoje em dia, o sonho da maioria dos blogueiros é conseguir parceria com as editoras, com nós não é diferente. Não tem nada melhor do que ter o seu trabalho reconhecido, saber que a tua divulgação e as tuas resenhas estão obtendo o resultado esperado. Pois bem, agora venho apresentar pra vocês, as três novas editoras parceiras do blog (de muitas que ainda pretendemos conseguir).






"Editar livros não é o nosso trabalho, é a nossa paixão! Na Chiado Editora adoramos livros, os editados por nós e muitos editados por outros. E trabalhamos todos os dias para oferecer a cada Leitor o livro perfeito! A Chiado Editora é especializada na publicação de autores portugueses e brasileiros contemporâneos, sendo neste momento a maior editora em Portugal neste segmento, e uma das editoras em maior crescimento no Brasil. Em pouco mais de quatro anos de existência, a Chiado Editora revolucionou o mercado do livro em língua portuguesa, editando mais de 1000 novos títulos por ano! Em virtude dos métodos inovadores de produção e distribuição que desenvolvemos, todos os livros publicados pela Chiado Editora estão, a todo o momento, disponíveis para todos os Leitores, nas maiores redes livreiras de Portugal e do Brasil.
A política editorial seguida pela Chiado Editora visa democratizar o mundo editorial, gerando as melhores oportunidades para os Autores, e oferecendo aos Leitores excelentes obras, de variadíssimos gêneros, a um preço justo e sem preconceitos. Dado o sucesso conquistado em Portugal e no Brasil, a Chiado Editora expandiu o seu trabalho para vários países, em várias línguas diferentes. Poderá descobrir as obras publicadas pelas nossas divisões internacionais através dos seus websites. A Chiado Editora publica igualmente na Alemanha, Angola, Bélgica, Cabo-Verde, Espanha, Estados Unidos da America, França,Luxemburgo, Irlanda e Reino Unido.
Convidamos você a descobrir os nossos livros. Temos sempre um livro que será um desafio para si. O nosso desafio é merecer que os nossos livros façam parte da sua vida."





"A Editora Filhos do Vento resulta da experiência acumulada de seus fundadores em vários segmentos da produção editorial, inclusive no papel de autora. Nessas dinâmicas foi que percebemos a necessidade de repensar algumas das relações de trabalho e de negócios que vigoram no ramo.
E quem somos? Uma jornalista, que também é escritora, e um designer que se propuseram a apresentar um outro modelo de negócio ao mercado editorial, fundamentado em nossos valores pessoais e empresariais de respeito a todos os envolvidos no processo. Não foi um caminho fácil. Aliás foi bem demorado e exigiu grande empenho em pesquisas, aprofundamento em aspectos legais e muito, muito planejamento. Mas finalmente equacionamos todas essas variáveis e o que era projeto se torna realidade.
Nossa empresa trabalha com o modelo convencional de produção editorial, como poderão ver na seção PUBLIQUE, e ainda com prestação de serviços gráficos e editoriais. A este formato acrescentamos os princípios solidários que nos orientam a desenvolver uma atitude colaborativa junto a autores e grupos culturais que queiram conhecer mais sobre os caminhos da publicação. Somos uma empresa nova e inovadora, determinada a atuar no mercado como marca associada a produtos de qualidade, capaz de desenvolver novos processos e tecnologias para a produção editorial e comprometida com a valorização e difusão da cultura local. Esperamos ser reconhecidos pelos valores que elegemos: sustentabilidade, respeitabilidade, transparência, solidariedade e responsabilidade social e empresarial."






"Há 106 anos, nascia a modesta Editora "O Pensamento", e que viria a se tornar uma das maiores e mais tradicionais empresas editoriais do Brasil por seu absoluto pioneirismo.
 A Editora Pensamento foi fundada em 26 de junho de 1907 por Antônio Olívio Rodrigues, um imigrante português que, de acordo com jornais da época, demonstrava grande interesse por pesquisas psíquicas, obras de filosofia e religiões orientais. O primeiro título publicado, que marcou oficialmente sua fundação, foi Magnetismo Pessoal, de Heitor Durville, o que coloca a editora como pioneira no gênero autoajuda, além de obras sobre esoterismo, cabala, numerologia, yoga e medicina alternativa. Em 1912 foi lançado o Almanaque do Pensamento, que, editado ininterruptamente desde então, atinge hoje vendas acumuladas de mais de 23 milhões de exemplares em 100 anos de publicação.
 Pouco antes de seu falecimento, em 1943, Antônio Olívio Rodrigues passou a direção da Editora para as mãos de Diaulas Riedel, marido de sua neta, um grande pesquisador, empreendedor e ao mesmo tempo discreto e reservado. Em 1946, em assembléia realizada na Editora Pensamento, localizada no antigo Largo de São Paulo, foi fundada a Câmara Brasileira do Livro. E, em 1956, Diaulas fundou a Editora Cultrix, com o objetivo de editar livros de filosofia, literatura, sociologia, linguística e psicologia. Sob seu comando as duas editoras tiveram um crescimento rápido, o que lhe valeu o Prêmio Jabuti de melhor editor em 1961. Na década de 1980, Diaulas Riedel foi o primeiro a publicar livros que tratavam do Movimento Nova Era, em especial autores que retratavam a aproximação entre a ciência moderna e as grandes escolas de misticismo. A área esotérica da Pensamento encontrou a complementação ideal nos temas científicos que a Cultrix passou a publicar, em que a aproximação entre o conhecimento científico e a tradição de duas grandes correntes da filosofia e da religião não seria apenas um modismo.
Com o falecimento de Diaulas em 1997, seu filho Ricardo Riedel assumiu a direção das editoras, procurando desenvolver ações operacionais nas diversas áreas da empresa, principalmente na área de marketing, na criação de uma nova rede de distribuição por todo o país e em Portugal e de uma base de dados para otimizar o processo de tomada de decisões naquela nova etapa.
Em 2009, Ricardo Riedel realizou a aquisição da Editora Seoman, e passou a publicar livros na área de moda, cultura pop e biografias, sendo que algumas delas, ligadas a lançamentos de filmes como 127 Horas, Jogo de Poder e Minha Semana com Marilyn. Após 104 anos lançando livros para um mundo em transformação em 2011, um novo selo chega para ampliar os horizontes da leitura; a Editora Jangada, onde Ricardo Riedel começa apostar de forma mais enfática em títulos da área de ficção fantástica e histórica com a criação de uma nova linha editorial para ampliar os temas oferecidos aos leitores. "Apesar de já termos publicado em nossos selos atuais algumas obras de ficção, decidimos criar uma linha editorial específica para a área, reforçando ainda mais a presença do grupo no mercado", afirma o diretor-presidente.
O nome Jangada veio através de algo em comum entre os integrantes da família Riedel: a paixão por barcos. O logotipo foi inspirado em uma das obras de arte do famoso pintor Carybé, que teve inclusive alguns de seus álbuns publicados pelo grupo editorial. Além disso, o artista plástico foi amigo pessoal do Sr. Diaulas Riedel, pai de Ricardo e diretor-presidente da editora até 1997.
Atualmente, Ricardo continua à frente do grupo e vai consolidando os  quatro selos editoriais, mantendo a coerência, a ética e a qualidade em todos os livros publicados - compromisso que permanece ao longo dos mais de 100 anos de existência -, produzindo livros para um mundo em transformação. "

E você, conhece o trabalho dessas editoras? Já teve alguma experiência com elas? Conte-nos! 

Resenha: Essa garota

Título do livro: Essa garota
Autor (a): Colleen Hoover
Editora: Galera
Número de páginas: 336
Sinopse: O último volume da série Slammed continua e revisita a história de Will e Layken, cujo amor venceu os mais árduos obstáculos: proibições, impedimentos, ciúme, tragédia. Mas, depois de tudo isso, os dois, agora casados, começam a se sentir seguros do incrível sentimento que os une. Quando em sua lua de mel, Lake quer saber tudo sobre o marido, Will, reticente, desembaraça os nós da própria história. Revisitamos os bons e maus momentos. E aprendemos alguns fatos chocantes... O futuro de Will e Lake agora depende de como os dois lidarão com essas revelações.



Classificação: 


Nunca pensei que eu daria algo menos do que cinco estrelas para a série "Slammed", da autora Colleen Hoover. "Métrica" é o meu livro preferido e "Pausa" não fica atrás não. Os dois primeiros volumes da trilogia são recheados de emoções, surpresas e muito (muito mesmo) romance. Então dá pra imaginar a minha ansiedade pra saber como a história de Lake e Will acabaria, não é? Pois bem, 2015 mal começou e arrisco a dizer que essa vai ser uma das minhas maiores decepções literárias do ano. 
O livro consiste em capítulos intercalados da lua de mel com capítulos de Will contando para Layken como ele viu tudo o que aconteceu na história deles, o que passava por sua cabeça e o que o levou a tomar certas decisões. Acabamos sim descobrindo coisas novas (mas poucas) que de certa forma incrementam a história do primeiro livro, mas não é nada do que eu tinha imaginado que seria quando li a sinopse do livro.
Achei o livro desgastante e sem emoção nenhuma, é a mesma história de "Métrica" só que contada pela visão do Will, e sinceramente? Achei a versão dele chata demais. Lake também é extremamente irritante no início e tudo vira motivo para ela ficar brava. Com esse livro descobri que é melhor o livro acabar e nos deixar desesperadas com aquele gostinho de "quero mais" do que ter uma continuação que empobreça a série.
Sim, me senti um monstro por não ter gostado dele e fui procurar outras resenhas e opiniões sobre o mesmo. Alguns dizem que o livro é ótimo e finalizou a trilogia muito bem, e outros, assim como eu, acharam ele totalmente desnecessário. Na minha opinião o livro só vale a pena pelos capítulos finais - nos quais finalmente Will consegue passar um pouco de emoção - e pelo epílogo que realmente é lindo!

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

Convite para lançamento virtual de Sentinela

Meu vício maior, depois da escrita, é a música. Como Sentinela só tomou esta forma por causa de uma música, pensei em fazer uma coisa um pouco diferente, e ao invés de só mostrar a versão original fazer uma gravação na minha voz.
É uma honra para mim ter trabalhado nessa gravação com o Drake Chrisdensen, vocalista e compositor da Ruins of Elysium. Espero que gostem do resultado!!!

LINKS :
Instagram - http://instagram.com/thaischristabel


Link para o formulário de inscrições: http://goo.gl/forms/yDD0wDvJ9w
Evento virtual + Surpresa :
https://www.facebook.com/events/761298933951870/?fref=ts


Assim chega ao fim a semana de divulgação de Sentinela.




quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Playlist da autora Thais Lopes

A autora Thais Lopes nos conta hoje sua trilha sonora para a escrita do livro Sentinela. Como já havia citado na entrevista, ela não consegue escrever sem uma música ao fundo. 

Essa playlist é mais uma trilha sonora de escrita, as músicas que para mim fizeram sentido ao longo da história e me ajudaram a entrar no clima das cenas. Ou seja: não garanto que vão fazer muito sentido. Algumas músicas têm relação direta com as cenas, outras simplesmente funcionaram por algum motivo que nem eu sei. Vou falar sobre as que têm relação direta com partes da história, mas a playlist completa está no link.
VK Lynne – Black Halo: foi a primeira música que coloquei para tocar quando comecei a escrever Sentinela, sem ter certeza do que ia sair. Trilha sonora da cena inicial no hangar.
Ruins of Elysium – Sentinels of the Starry Skies: a música que fez a história render, que definiu o título, e que fez o que era um conto virar um quarteto. Trilha sonora de tudo, simples assim.
Christina Aguilera – Fighter: música tema da Aíla. Quando comecei a escrever e mexer com o passado da Aíla, essa música veio na minha cabeça na hora. Ela é exatamente o que a letra fala: alguém que pegou todos os problemas, tudo o que deu errado, e transformou isso tudo em força no fim das contas.
Beyond the Bridge – The Struggle: todos os momentos de decisão, quando Aíla estava pesando o que fazer/o que não fazer.
Rammstein – Sonne: fazia anos que eu não escutava essa música, mas por algum motivo minha cabeça resolveu que ela funcionava de trilha sonora na reta final do livro. Ok, não discuto.
Vincenzo Avallone – SG-1: a voz do Ruan, que faz os vocais nessa música, já foi minha trilha sonora em várias histórias que estão engavetadas. Quando o Vincenzo me mostrou essa música foi uma coisa instantânea de “preciso colocar na playlist de escrita”. Essa música marcou as cenas onde Aíla tem que tomar decisões complicadas, e especialmente o final do livro.
Lindsey Stirling feat. Lzzy Hale – Shatter Me: essa é a música tema da mercenária Ezi, e pensei nela desde a primeira vez que imaginei a cena da última batalha.

Escute a playlist aqui.